Governo Federal lança o programa Internet para todos com o objetivo de universalizar o acesso à rede mundial de computadores

Acesso à Internet no Brasil

Os dados divulgados pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) revelam a expansão no acesso à rede mundial de computadores. Hoje 61% da população com mais de 10 anos de idade está conectada.

Entretanto, a desigualdade é um ponto que chama a atenção na pesquisa. Das pessoas que navegam online, mais da metade (65%) residem nas cidades. As áreas rurais respondem por apenas 39%.

População conectada à internet no Brasil

Percentual da população brasileira com mais de 10 anos que acessam à internet (Imagem:Redes&Cia)

Além disso, a expansão no acesso se deriva em grande medida da popularização dos dispositivos móveis, que representaram em 2016, quatorze por cento das conexões. A internet móvel é a principal forma de conexão em 9,3 milhões de residências, principalmente nas classes D/E, na região Norte e nas áreas rurais. Já a banda larga fixa é utilizada por 23 milhões das residências no país.

Muito ainda precisa ser feito para democratizar o acesso à internet. Segundo a pesquisa internacional ICT Facts and Figures 2016 realizada pela ITU, a agência da ONU para tecnologias da informação, a penetração da internet nos domicílios de países desenvolvidos é de cerca de 83,8%.

Vários municípios brasileiros não possuem banda larga e muitas pessoas estão à margem da inclusão digital.

O Programa Internet para Todos

Nessa esteira, O presidente Michel Temer lançou dia 12/03, em evento em Brasília, o programa Internet para Todos, que pretende levar acesso à banda larga para locais remotos sem conectividade. Com isso, o governo federal estima que cerca de 40 mil localidades serão beneficiadas.

Cerimônia de lançamento do programa Internet para Todos

Cerimônia de lançamento do programa Internet para Todos (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

A Solenidade contou com a presença de 2.471 prefeitos e prefeitas que se reuniram para assinar o termo de adesão ao programa. Os municípios que entraram na primeira fase começarão a receber as antenas a partir de maio. As prefeituras devem indicar o local onde serão instalados os equipamentos, bem como garantir a segurança e arcar com os custos de energia elétrica.

O programa deve promover inclusão digital para cerca de 53 milhões de brasileiros e conectar escolas, hospitais e postos de saúde.

O primeiro Satélite Brasileiro

Tudo isso só será possível graças ao Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), lançado em maio do ano passado na base de Kourou, na Guiana Francesa. É o primeiro satélite controlado integralmente pelo governo brasileiro que antes alugava o sinal de satélites privados.

Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas que possibilitará programa internet para todos

Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (Foto: Reprodução/TV Globo)

Foi construído por uma empresa francesa em parceria com o Brasil e custou aos cofres públicos 2,8 bilhões de reais. Cobrirá todo o território nacional e o oceano atlântico, tendo uma vida útil prevista de 18 anos.

Também será usado para garantir o monitoramento das fronteiras brasileiras, através da parceria entre Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações e Ministério da defesa.

Como os municípios podem se beneficiar ainda mais do programa Internet para todos?

Os municípios devem aproveitar a oportunidade para criar projetos de desenvolvimento tecnológico maiores, que contemplem todas as áreas da administração pública. Existem várias iniciativas na área da saúde, educação, segurança pública que podem melhorar a gestão e reduzir custos por meio da digitalização de processos e melhorar a qualidade de vida dos cidadãos.

Conheça os serviços da Redes&Cia para transformar seu município em uma cidade digital.